Tiramisú de fazer crescer o bigode!

Começo já por esclarecer a dúvida que o título de hoje poderá suscitar: não, não quero transformar a nossa belíssima população feminina na imagem que grande parte do mundo tem de nós: mulheres com bigode. E agora que este ponto foi ultrapassado, posso então falar de tiramisú.

Na passada quinta-feira cruzei-me com a receita de tiramisú do Chef José Avillez e, com as previsões de que esta semana as temperaturas iriam subir, pensei que seria a oportunidade ideal para a experimentar. E foi assim que encontrei também a ocasião perfeita para juntar Bicabagaço às minhas aventuras na cozinha!

O licor Bicabagaço, com a sua garrafa toda catita, combina o licor de café com a aguardente bagaceira, confiando assim um resultado muito típico português: o do café com cheirinho. E foi com este licor, produzido actualmente pela minha queridíssima Sofia e pelo pai dela, que “transformei” o tiramisú do Chef Avillez num tiramisú para gente crescida e com bigode (crescida devido ao conteúdo alcoólico e com bigode por inspiração do rótulo da garrafa).

A receita original podem encontrar aqui, pois acabei por utilizar, em alguns casos, quantidades um pouco diferentes:

3 gemas de ovo
140g de açúcar
200g de queijo mascarpone (só reparei em casa que a embalagem era mais pequena que as 250g necessárias, ups!)
400ml de natas para bater
3 colheres de sopa de licor Bicabagaço
500ml de café forte frio
200g de palitos de champanhe
cacau em pó q.b.

Bati as gemas com o açúcar, até obter uma mistura leve e acrescentei o mascarpone, enquanto, ao mesmo tempo, as natas eram batidas pela batedeira. Quando estas ficaram firmes, juntei-lhes a mistura das gemas com o açúcar e o queijo e, com tudo bem envolvido, coloquei no fundo das várias taças um pouco do creme.

Depois, num prato de sopa, misturei o café com o licor, embebi os palitos e coloque-os por cima do creme nas taças. Cobri os palitos com outra camada de creme e repeti as camadas, de forma a ficar com 3 de creme e 2 de palitos.

Por fim, coloquei as taças no frigorífico, tapadas com película aderente e, antes de servir, polvilhei com cacau em pó.

Anúncios

Doce de iogurte na estreia

A receita de abertura do blog é de uma sobremesa/doce de colher que gosto bastante seja qual for a estação do ano. É daquelas que uma tacinha apenas não me chega e tenho sempre muita vontade de repetir a dose.

É muito fácil, e com ingredientes do mais banal que pode haver:
80g de farinha
5 dl de leite
6 ovos (separar as gemas e as claras)
450g de açúcar
2 iogurtes

Num tacho, dilui-se a farinha no leite. À parte misturam-se as gemas e o açúcar (até ficar um creme fofo) e adicionam-se ao leite e vai a cozer em lume brando, mexendo sempre até engrossar.
Adicionam-se os iogurtes e as claras batidas em castelo, retirando do lume quando estiver tudo bem incorporado.
Por fim é só deixar arrefecer numa taça grande ou em várias pequenas e levar ao frio.

O iogurte fica ao critério da pessoa. Hoje usei com sabor a limão, mas também já experimentei de tutti-frutti e pêssego. Até ao momento o vencedor mantém-se o aroma a pêssego, tendo em conta que desde o início deste post já acabei com uma tacinha do que foi feito hoje.