Férias, Férias e Férias

Férias. Estive de férias. Fiz praia, descansei, aproveitei para ler, para organizar algumas coisas, dediquei algum tempo ao meu carro (limpezas, inspeções e coisas desse género) e a outras obrigações de rotina sazonais. E também houve festa. Aliás, festas: a Inês casou-se e o Afonso baptizou-se. Duas festas em datas diferentes, de duas famílias diferentes, sendo a Inês é minha amiga há anos, quase desde a infância, e o Afonso um dos mais recentes primos. E o que houve em comum em ambas as festas? Coisas caseiras.

No casamento foram várias as decorações, lembranças e pormenores que os noivos e os familiares prepararam para o grande dia, desde adereços para os convidados tirarem fotografias, as lembranças, os livros para os convidados seguirem a cerimónia na igreja, os marcadores das mesas, o painel com a indicação dos lugares dos convidados e as várias placas decorativas em madeira, espalhadas pela quinta, que gravaram ou pintaram/decalcaram frases como “Aqui começa o felizes para sempre” ou a hashtag que os convidados deveriam usar para partilharem as fotografias. Muito trabalho tiveram “aqueles dois”, mas o resultado final foi super, super positivo e muito giro (já sabem como gosto destas coisas).

A festa do baptizado também foi muito caseira, uma vez que, após a cerimónia na igreja, esta decorreu no jardim da casa dos avós da criança, com as decorações e a refeição maioritariamente caseiras.

E porque motivo vos falo de ambas as festas? Porque também eu “puxei” das minhas caseirísses em ambas as ocasiões. Ora, por ocasião do casamento fiz o já habitual cartão personalizado que acompanha sempre a prenda que ofereço aos noivos.

No baptizado, e como desta vez não tinha marcado cabeleireira, fiz o meu próprio penteado. Ok, não é uma coisa tipicamente caseira, mas foi feita por mim e em casa, por isso conta mais ou menos (heheh). Esta caseirísse foi bem mais desafiante que o cartão do casamento, isto porque:
nº 1, nos cartões de casamento já sou quase uma expert, graças à quantidade e variedade que fiz noutras ocasiões;
nº 2, tinha pensado em fazer uma coisa simples, algo como esticar o cabelo e apanhar a franja (chamemos-lhe assim, como está tão comprida não sei se ainda lhe posso chamar franja) com um travessão ou uma mola, mas com o calor que estava no dia, acabei por apanhá-lo todo numa acção que correu razoavelmente bem à primeira, sem ensaios, nem testes;
E nº 3, tinha apenas uma hora para tomar banho, almoçar, vestir, arranjar o cabelo, maquilhar, pintar as unhas e sair.

Mesmo em cima do limite de tempo consegui fazer tudo. Só fiquei com pena de não ter tirado uma fotografia no momento e por só me ter lembrado de o fazer já ao final da noite, quando o ia desmanchar. Ainda assim, mesmo com a fraca qualidade com que as fotografias ficaram e já com uma ou outra ponta de cabelo a querer soltar-se, espero que dê para perceber como ficou.

Entretanto, e também durante as férias, comecei outros pequenos projectos caseiros e dei continuidade a um que estava parado há demasiado tempo, mas sobre esses falarei na próxima vez.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s