Dia dos melhores amigos e as curgetes vegetarianas

Hoje, e segundo a Rádio Comercial, é dia dos melhores amigos e a minha é vegetariana. Qual a ligação entre o dia dos melhores amigos e o facto da Sofia ser vegetariana? Directamente, nenhuma, indirectamente, as curgetes recheadas 100% sem animais mortos.

Conheço a Sofia desde que me lembro. Os nossos avos são irmãos e, portanto, somos primas em 3º grau numa família bem numerosa, o que algumas pessoas possam considerar como familiar distante, mas nós crescemos praticamente juntas. Os nossos pais faziam parte do mesmo grupo de amigos, eu e ela apenas temos um ano de diferença e sempre vivemos a meia centena de metros de distância uma da outra e talvez estes motivos tenham facilitado o processo de infância e adolescência conjunta. Crescemos juntas, partilhámos aventuras, lágrimas, gargalhadas, conversas longas e curtas e inúmeras foram as vezes que na tentativa de nos despedirmos uma da outra diziamos “então vá, agora é que é, até amanhã” e retomávamos a conversa novamente por mais uns minutos, talvez durante mais uma meia hora. É mais forte que nós.

Dando um avanço na “cronologia”. Actualmente continuamos a viver perto uma da outra e estamos juntas, ou falamos, com alguma frequência, e quando nem sempre dá (porque a vida adulta nem sempre o permite) fazemos por isso. E foi o que aconteceu há umas semanas atrás. Havia muita conversa para por em dia e mesmo com uma agenda nada aligeirada lá conseguimos encaixar um jantar rápido em minha casa.

Ora, desde o final do ano passado que a Sofia é vegetariana e, por este motivo, estava completamente fora de questão apresentar-lhe uns bifes ou um peixinho cozido para a refeição (ehehe mentira, acho que se lhe apresentasse peixe cozido mesmo ainda antes de ser vegetariana ela “desamigava-me” para toda a vida).

Se a memória não me falha, o meu “cardápio” vegetariano era apenas constituído pelas massas de arroz e legumes que já aqui tinha partilhado (mas sem as gambas). Acho que para além disto, sopa de legumes e salada de alface (aqui a salada serve apenas como alusão à frase que certamente todos os vegetarianos já ouviram quando vão comer fora “em último caso podes sempre pedir salada”) não me recordo de alguma vez ter preparado uma refeição vegetariana. E assim lá me safei eu e ela, que não teve de passar fome.

Acontece que, uma semana depois, combinamos outro jantar em minha casa, e desta vez com mais um convidado: o Tiago, irmão da Sofia e grande amigo também (lógicamente, primo também). E agora? Que mais poderia eu fazer para lhes apresentar e que não fossem novamente as massas de arroz com legumes?

Lá andei às voltas pela Internet e neste caso o Pinterest serviu de inspiração. Umas quantas receitas cruzadas depois surgiram as curgetes recheadas sem animais, pois em tempos já tinha feito com alheira e com carne picada. Com receio que uma curgete apenas não fosse suficiente para nós os três, recheie duas inteiras, ou seja, 4 meias curgetes, mas uma teria sido suficiente. Por isso, as quantidades que apresento em baixo dão para alimentar facilmente 5 pessoas.

2 curgetes médias
½ cebola
1 dente de alho
3 colheres de sopa de azeite
80 gramas de quinoa (nunca tinha usado antes e por isso tive de recorrer as indicações da Sofia)
Sumo de limão q.b.
1 punhado de amêndoas
3 tomates
1 lata de milho
¼ de pimento verde
200g de queijo ralado (sem coalho animal!!!)
Sal, pimenta e orégãos q.b.

Numa frigideira coloquei o azeite e refoguei a cebola e o alho. Depois cortei as curgetes ao meio e, com a ajuda de uma colher de servir gelado, retirei o interior que cortei em pedaços e juntei na frigideira com as amêndoas cortadas a meio, o tomate e o pimento cortado em tiras e temperei com sal e pimenta.

Num pequeno tacho com água a ferver coloquei a quinoa a cozer, temperando com sal. No fim da cozedura juntei umas gotas de sumo de limão.

Quando a água, que os legumes libertaram na frigideira enquanto cozinhavam, reduziu juntei o milho e a quinoa e envolvi bem.

Em dois tabuleiros (próprios para o forno) coloquei um fio de azeite no fundo e em seguida acomodei as metades das curgetes para rechear com a mistura da frigideira.

Por fim terminei com queijo ralado e orégãos e coloquei no forno a 175º durante cerca de 25-30 minutos e servi juntamente com salada daquelas misturas de alfaces já “prontas”.